Leilão de ativos da Avianca Brasil será dia 10 de julho

13 de junho de 2019

#Aviação

Imagem: Fábio Rodrigues Pozzebom - Agência Brasil

Suspenso desde o dia 5 de maio, o leilão de venda de ativos da Avianca Brasil será realizado no dia 10 de julho. Ontem (12) a 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) autorizou a realização de leilão para a venda de sete unidades produtivas individuais (UPIs), previstas no processo de recuperação judicial da Avianca.

Segundo a assessoria do TJSP, o edital com as regras do certame será publicado amanhã (19) no Diário da Justiça Eletrônico. De acordo com o plano de recuperação judicial da empresa, seis UPIs correspondem essencialmente às autorizações de voos e direitos de uso de horários de chegadas e partidas, os chamados slots, nos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Santos Dumont. A outra UPI trata do programa de fidelidade da Avianca, o Amigo.

Até o momento, três empresas estão na disputa pelos ativos da Avianca. Em abril, a Latam e a GOL anunciaram ter fechado um acordo com um dos maiores credores da Avianca, Elliott. As empresas se comprometeram, cada uma, a ficar com uma das UPIs. Pelo acordo, o Elliot já recebeu US$ 35 milhões de cada empresa. Esse valor pode ser descontado do valor oferecido pelas UPIs, caso as empresas consigam arrematar as unidades.

No início de março, a Azul manifestou interesse em comprar parte dos ativos da empresa. Em maio, a Azul chegou a protocolar na Justiça uma nova proposta para tentar comprar parte das operações da Avianca Brasil. A empresa requereu autorização específica para comprar uma "nova UPI", espécie de empresa que seria criada a partir do desmembramento da Avianca, no valor mínimo de U$ 145 milhões.

O pedido não foi aceito pela Avianca. A empresa disse que a proposta era juridicamente inviável por não ter passado pela assembleia de credores. "Não há como validamente alienar a maioria dos ativos (...) via UPI [Unidade Produtiva Isolada] sem a existência de um plano de recuperação judicial apreciado e aprovado pelos credores, requisito imprescindível a celebração de um negócio (...) capaz de manter a transação definitivamente válida", disse a empresa em documento enviado à Justiça.


Liminar

Previsto para 7 de maio, o leilão estava suspenso desde o dia 5 do mesmo mês, após uma liminar proferida pelo relator do caso, desembargador Ricardo Negrão, que atendeu a um pedido da Swissport Brasil, empresa que atua com serviços de logística em aeroportos. Negrão foi voto vencido no julgamento de ontem (17).

A Swissport argumentou, no pedido, que a transferência de slots, prevista no plano de recuperação da Avianca, é proibida por lei. A Avianca recorreu da suspensão, defendendo a legalidade de seu plano de recuperação. "A alienação de UPIs, com a destinação dos recursos recebidos para o pagamento de credores, é inequivocamente um meio legítimo de recuperação", disse a empresa no recurso.

“Os desembargadores Sérgio Shimura e Mauricio Pessoa, que também compõem a turma julgadora, entenderam que o prosseguimento do leilão em cumprimento ao plano é, em sede de cognição sumária, possível e necessário, inexistindo indícios suficientes à suspensão”, diz nota divulgada nesta segunda-feira pelo TJSP.


Notificação

Sem voar desde o dia 24 de maio, a Avianca foi cobrada no último sábado (15) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que divulgou nota reforçando a obrigação da empresa de "oferecer para a escolha do passageiro as alternativas de reacomodação em voos de outras companhias aéreas e de reembolso integral do valor pago”.

Segundo a Anac, a Avianca foi notificada “por deixar de responder as reclamações de passageiros na plataforma Consumidor.gov.br, conforme estabelecido pela Resolução nº 400 da agência reguladora.

A Anac orienta o passageiro que não tiver os direitos de consumidor respeitados a "procurar o sistema de atendimento da empresa aérea responsável pelo voo”. Caso não fique satisfeito com a solução apresentada pela companhia, poderá registrar uma reclamação na plataforma.

Persistindo a insatisfação, a Anac recomenda que o passageiro recorra aos órgãos de defesa do consumidor (SNDC) para pedir ressarcimento e reparação de danos.


Matéria: Agência Brasil
    

Sem alarde, Unilever volta as conservas enlatadas e relança icônica maionese dos anos 90

13 de maio de 2018

#Mercado


Em um movimento inesperado pelo mercado, a Unilever Brasil, sem qualquer alarde, volta ao mercado de conservas enlatadas, que um dia ela mesma dominou com as marcas Arisco, Beira Alta, e Cica. Desta vez a marca escolhida para o retorno foi a Knorr, tradicional marca de temperos, caldos e sopas da fabricante, que no passado chegou a batizar a antiga linha de atomatados da companhia, vendida no final de 2010 para a americana Cargill.

Fabricantes de molhos de tomate mudam fórmulas e não informam o consumidor

26 de novembro de 2016

#Consumidor


As fabricantes de conservas Cargill Agrícola e Heinz Brasil alteraram as fórmulas de suas principais linhas de molhos de tomate, das marcas Pomarola e Tarantella da primeira, e da marca Quero, da segunda.

A principal alteração consistiu na adição de conservadores, após um período em que as fabricantes exploraram a inexistência dos mesmos em tais produtos, estimulando o seu consumo como um produto natural. Já a Heinz foi mais além, sem qualquer aviso, retirou os pedaços de tomate de seu molho tradicional, o mais vendido da marca, bem como retirou ingredientes por duas ocasiões. Veja as diferenças:


Praticamente idênticos, a nova embalagem destaca o quadro informativo de sabor,
para não chamar a atenção a mudança da qualidade do produto, que perdeu
os pedaços de tomate, conforme visto na embalagem antiga, a esquerda.

Quase iguais, a alteração de embalagem passa despercebida pelo consumidor.
Não existem avisos sobre a alteração dos ingredientes.

A esquerda, a formula quase original, sem conservadores, enquanto
a direita, com a nova fórmula, sem diversos ingredientes naturais e com conservante.

Observe que o primeiro pacote já mostra que a formulação do produto foi mudando aos poucos. Quando relançado nesta nova embalagem, o produto continha até Aipo Marrom continha. E o site da marca sequer foi atualizado com as novas informações, levando o consumidor a crer que ao adquirir o molho da marca Quero, está levando um produto mais natural e com mais ingredientes que o real:




Infelizmente grande parte dos fabricantes de alimentos do Brasil estão deixando e muito a desejar, reduzindo drasticamente a qualidade dos produtos comercializados, sem qualquer aviso ao consumidor final, que continua pagando igual ou mais pelo produto, agora inferior.


Matéria: Dimithri Vargas

Mondelez altera fórmula de bombons da Lacta

#Consumidor


Redução da quantidade e da qualidade.
A mudança foi para pior.
Após nova redução da caixa de bombons "Grandes Sucessos" da Lacta, que um dia foi de 500 g, havia fixado em 400 g por anos, ano passado reduzida para 332 g e agora tem 302 g, contando com um mix pouco sortido (diga adeus aos clássicos Shot, Lancy, Amendoim, Confeti e outros), a Mondelez desmereceu o consumidor brasileiro, alterando a fórmula de seus bombons de sucesso Sonho de Valsa (incluindo versão Mais), Ouro Branco e Amandita. A nova fórmula RETIROU o chocolate ao leite da composição, substituindo por Cobertura de Gordura Vegetal Hidrogenada, nos sabores chocolate e chocolate branco, a depender da versão.

Até o final de 2014, este era o mix da caixa Lacta,
enquanto a fabricante ainda era parte da extinta Kraft Foods. 

A alteração da qualidade foi nítida, onde agora o produto ficou com um aspecto mais brilhoso, e com sabor artificial.

A queda na qualidade dos gêneros alimentícios no Brasil tem sido contínua, e inicialmente já havia afetado os bombons da Garoto, mas agora atingiu em cheio a marca reconhecida por ainda produzir bons chocolates dentre as marcas de alto volume, o que é uma vergonha para o fabricante, que sequer foi transparente com o fato, abusando de letras miúdas nas embalagens.

Em nível equivalente a nova qualidade dos bombons Lacta, temos várias marcas mais baratas e menos famosas, como a Bel, que custa até um terço do preço.

Resta ao consumidor brasileiro, mais uma vez procurar alternativas melhores e infelizmente mais caras, para ter acesso ao verdadeiro chocolate.


Matéria: Dimithri Vargas

   

Óleo de Soja Leve livre de transgênicos volta as gondolas com nova embalagem

16 de junho de 2016

#Alimentos #Consumo #Ecologia


A marca de óleo de soja Leve, que fez sua fama por ter sido a principal marca de oleaginosas livre de transgênicos, que havia sumido do mercado nacional ao longo do ano de 2015, e voltou a distribuir no mercado nacional a sua linha de óleos livre de transgênicos.

Rebatizada de Leve + Saúde, o novo óleo de soja Leve, segue com as mesmas certificações anteriores, e em embalagem diferenciada, que destaca o produto no ponto de venda. Seu preço é cerca de 10% superior a versão oriunda de sementes transgênicas, que assumiu a embalagem anterior.

Resta saber se a Imcopa irá recuperar sua credibilidade junto ao consumidor brasileiro, haja vista também envasar o novo produto na mesma unidade fabricante do produto derivado de soja transgênica, e não se preocupar em fazer uma campanha de relançamento da linha e a colocação em todos os pontos de venda.

Óleo de Soja Leve não transgênico some das prateleiras e Óleo Sinhá agora é transgênico

6 de março de 2016

#Alimentos #Consumo #Ecologia


Passados aproximadamente um ano e cinco meses de nossa matéria a respeito da chegada do óleo de soja Leve transgênico, percebemos o fim da linha livre de transgênico, que não chega mais as gondolas dos grandes supermercados e dos pequenos mercados há mais de seis meses.

Ao notar a chegada da nova embalagem do óleo Leve transgênico e o sumiço da linha anterior, fizemos uma pesquisa junto as redes supermercadistas, e recebemos a informação de que o produto livre de transgênico não mais está disponível para comercialização no mercado brasileiro, ainda que exista procura, devido a aceitação do novo produto e seu menor custo de produção.

Óleo de soja Leve agora é transgênico?

11 de outubro de 2014

#Alimentos #Ecologia


Mudança de posicionamento da Imcopa para a marca?
Clique para ampliar.
Para a surpresa e espanto de muitos, sem nenhum alarde, o óleo de soja Leve, da Imcopa lançou uma versão que deixou de ser um produto isento de transgênicos.

O produto encontrado é do lote CO914 T 11:00 03 com validade para 03/03/2015, produzido na unidade Cambé/PR. Sua nova composição declarada é "100% puro óleo de soja geneticamente modificada (Agrobacterium sp) com adição de antioxidante Ácido Cítrico".

Sem grandes informações na embalagem e apenas com uma pequena e (bem) discreta descrição, tem-se a informação que o óleo, conhecido por ser a única marca de grande escala que produzia exclusivamente óleo de soja não transgênico com programa de certificação CERT-ID, deixou de ser uma marca que declarava guerra aos transgênicos em prol dos que optaram ao menos por reduzir o consumo destes.

A marca Leve ficou conhecida no Brasil e no mundo por esta característica, e por isto já havia atingido 51% de sua produção destinada para a exportação. Será que devido a este fator, faltou soja não-transgênica para produzir a versão comercializada aqui no Brasil?

Do jeito que está, o Brasil vai pro brejo... temos que mudar!

28 de setembro de 2014

#Opinião


O objetivo é governar o país para os brasileiros de agora e das gerações seguintes e não para uma maioria que se preocupa só com o momento atual, que não toma para si a responsabilidade de cuidar da própria vida e da vida daqueles que põem no mundo. O caminho mais fácil e o caminho mais curto é o caminho da perdição.

A galinha dos ovos de ouro é uma só, e se não for bem cuidada ainda que ponha ovos de ouro todos os dias isto não será suficiente para cobrir a demanda das ambições desmedidas e irresponsáveis de quem mais colhe do que planta... pior é que já tem gente achando que deve matar a galinha para ver se tem mais ovos dentro de si do que põe. (Afinal é uma rica galinha...quem se importa com ela?)

MAXX Música completa dois anos

25 de setembro de 2014

#Novidades


O MAXX Música, canal do portal que divulga artistas, lançamentos de músicas e clipes, além de apresentar novas tendências da música nacional e internacional completou dois anos hoje, com direito a facelift em seu visual.

O canal ganhou nova logo, atualização no layout, novo sistema de comentários e melhorou sua integração com a rádio MAXX FM, que agora passa a ter um player disponível no canal. As mudanças seguirão acontecendo e mostrarão ao mercado como será o novo layout dos canais MAXX.

Para simbolizar estes dois anos, começamos com uma matéria sobre o Madblush que bombou nas redes sociais e trouxe o portal novamente ao competitivo cenário da mídia brasileira.

Final do campeonato de League of Legends conta com produção musical da 11:11

24 de julho de 2014

#Games


A finalíssima do Campeonato Brasileiro de League of Legends (LOL) – um dos maiores jogos on-line da atualidade - promete ser um dos grandes eventos do ano no mundo dos games. O espetáculo de abertura, que vai acontecer no Maracanãzinho no próximo dia 26, conta com a participação dos experientes produtores Otavio de Moraes, Felipe Junqueira e Samuel Ferrari da 11:11ads+arts liderando uma equipe composta por diversos músicos e artistas. Os produtores são responsáveis por toda a produção musical do espetáculo, incluindo arranjos, orquestrações, regência e a criação de uma peça exclusiva.


Explore o MAXX

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Locais
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Carros

Cultura
Famosos
MAXX FM
Música
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2019 © DVRG - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade, em especial no que tange ao uso de cookies."

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni